Comissão, prêmio e participação em lucros: como remunerar o time de uma startup?

Pessoa com metas. remuneração. comissão. prêmio. participação em lucros.

A gestão de uma Startup ou de uma empresa inovadora traz consigo a necessidade de uma visão 360° por parte de seus gestores. De forma que sua atenção esteja constantemente voltada tanto para fatores externos, quanto para fatores internos do negócio. E um dos elementos internos desses negócios, que demandam não somente atenção, mas o devido cuidado jurídico, é a estruturação da remuneração dos colaboradores .

A estruturação do pagamento devido aos colaboradores é indispensável para que a Startup e/ou a empresa não venham a enfrentar, futuramente, demandas trabalhistas. 

Quanto a este tema, uma das dúvidas mais recorrentes dos empregadores é sobre a possibilidade de realizar pagamentos ou bonificações aos contratados, para além de sua remuneração fixa, em grande parte, como incentivo à produtividade.

O pagamento de comissões, prêmios e a participação em lucros são algumas formas pelas quais um contratado pode vir a receber quantias advindas da prestação de seus serviços, para além de sua remuneração base. E é justamente dessas modalidades de pagamento que falaremos  a seguir. Vamos lá!

Comissão

Talvez a modalidade mais conhecida entre os empreendedores e os próprios colaboradores, a comissão, via de regra, é fixada sobre o valor das vendas realizadas por um colaborador, quando acordada diretamente entre as partes. Ou seja, é um valor normalmente pré-fixado sobre a venda individual de um colaborador, ou sobre um número mínimo de vendas de determinado produto. 

Trata-se de uma remuneração variável, que possui natureza salarial, ou seja, constitui base de incidência de encargos trabalhistas, aplicando-se, no que couber, a CLT. Inclusive, em decorrência da natureza salarial, a comissão deve ser paga ao colaborador no período máximo de 1 mês, a contar da realização da venda. Não havendo, contudo, restrição quanto à porcentagem a ser estabelecida sobre o valor da venda.

Assim, uma comissão nada mais é do que um pagamento que acontece de forma recorrente e proporcional ao desempenho das atividades exercidas por um colaborador. Em outras palavras, essa modalidade de pagamento acompanha as atividades já esperadas do colaborador, e não a superação delas, que é necessária para o pagamento de prêmios, como será tratado no tópico a seguir.

Prêmios

Quando falamos dessa modalidade de pagamento, estamos tratando de uma hipótese sobre a qual não recaem encargos trabalhistas, uma vez que o prêmio não possui natureza salarial. Porém, precisamente por isso, para que seja enquadrado como prêmio e não gere riscos trabalhistas, é necessário que o pagamento dessa modalidade atenda a alguns requisitos.

Ao contrário do pagamento por comissão, que está vinculado a um desempenho já esperado do colaborador, para que um prêmio seja cabível, é necessário que tenha sido identificado um desempenho acima do esperado por parte do contratado que o está recebendo; ou seja, que haja algo como uma meta a ser superada. 

Outra característica intrínseca a essa modalidade é o seu caráter extraordinário, isto é, não é possível que esse pagamento aconteça de forma recorrente ou habitual. Sendo que, caso se torne habitual, poderá ser enquadrado como o pagamento de uma comissão e, consequentemente, como verba salarial; ou seja, será possível a incidência de todos os reflexos trabalhistas.

Participação em lucros

A participação dos colaboradores nos lucros ou resultados da empresa (PLR) é regulamentada, no Brasil, pela Lei n° 10.101/2000. Essa modalidade nada mais é do que uma recompensa financeira oferecida ao colaborador quando contribui para o alcance de metas da Startup ou da empresa. Essa participação pode estar vinculada tanto ao alcance de metas globais da empresa, quanto ao alcance de metas e objetivos individuais ou departamentais do colaborador.

A participação nos lucros deverá ser objeto de negociação entre a empresa e seus colaboradores. Essa negociação pode acontecer (i) a partir de uma comissão paritária escolhida pelas partes, negociada com a presença de um representante do sindicato (que nada mais é do que o órgão que vai representar a vontade dos trabalhadores e/ou do empregador); ou (ii) por meio de Convenção ou Acordo Coletivo. O resultado dessa negociação deve ser oficializado em um documento assinado e, posteriormente, arquivado na entidade sindical dos trabalhadores. 

Nesse documento deverão constar, de forma clara e objetiva, as regras quanto à fixação dos direitos e condições da participação, periodicidade da distribuição, bem como os mecanismos de verificação do cumprimento das condições. 

É importante ressaltar, ainda, que são considerados inválidos pagamentos que desrespeitem as regras de periodicidade – isto é, a frequência permitida para aquele tipo de pagamento – ou que não possuam acordo devidamente assinado com a antecedência mínima, ambos fatores trazidos pela lei.

A participação nos lucros é parcela não salarial, não substituindo ou complementando a remuneração devida a qualquer colaborador. E, devido ao seu caráter não salarial, a verba participatória pode deixar de ser paga nos exercícios negativos apresentados pela empresa. Existe um ponto de atenção aqui: a verba participatória é considerada vantajosa. Isto é, uma vez conferida ao trabalhador, não poderá ser excluída ou sofrer alteração que seja considerada maléfica ao trabalhador – como a diminuição – exceto em exercícios negativos ou se coletivamente negociada a exclusão ou diminuição.

pessoas assinando contrato. remuneração. comissão.

Pontos de Atenção!

Diante de tudo isso, percebemos que, embora em um primeiro momento essas formas de pagamento possam causar confusão, tratam-se de modalidades de incentivo com características, procedimentos e consequências distintas. Sendo importante compreendê-las para alavancar seu empreendimento. Portanto, é indispensável a devida cautela ao acordar uma remuneração extra com seu colaborador. Pois um enquadramento errado pode significar a incidência de reflexos trabalhistas não esperados ou planejados pela empresa!

Por fim, é essencial que sempre haja a análise da situação de fato, uma vez que a mera denominação de uma modalidade não caracteriza a situação como tal. Por exemplo, um pagamento que aconteça mensalmente, sempre que um contratado alcance um número de vendas, provavelmente será considerado, em um eventual processo trabalhista, como uma “comissão” – ainda que a empresa o tivesse denominado, por exemplo, como “prêmio”. De forma que, sobre ela recairá todas as verbas trabalhistas devidas. 

Quer saber mais sobre o  assunto e como sua empresa pode se proteger? Não deixe de procurar o Lage & Oliveira!

Leia também

9. Propriedade Intelectual e Industrial

Não é autorizada a utilização das Marcas e de qualquer propriedade intelectual e/ou industrial do L&O pelos USUÁRIOS do SITE sem a prévia e expressa autorização e aprovação do L&O, ficando resguardados todos os direitos acerca destas.

Ao acessar o SITE, você concorda que respeitará a existência e a extensão dos direitos de Propriedade Intelectual do L&O, bem como de todos os direitos de terceiros que sejam usados, a qualquer título, no SITE, ou que venham a ser disponibilizados de outras formas.

O acesso ao SITE não lhe dá direito ou prerrogativa ao uso de qualquer Propriedade Intelectual, Marca ou outro conteúdo nele inserido.

Se você violar as proibições contidas na legislação pátria vigente sobre propriedade intelectual e/ou neste Contrato, você poderá ter a sua Conta de Acesso bloqueada ou excluída definitivamente, se tiver uma, além de ser responsabilizado, civil e criminalmente, pelas infrações cometidas.

4. Conta de Acesso ao OFFICE

Apenas clientes do L&O, que tenham contratado plano de Assessoria Jurídica, poderão ter acesso à área restrita do SITE, denominada OFFICE. Se for o seu caso, continue a leitura. Caso contrário, pule este tópico e vá para o próximo!

Para que seja possível o acesso ao OFFICE, é indispensável a criação de uma Conta de Acesso. Esta Conta será criada pelo próprio L&O que, na oportunidade, solicitará os dados necessários a você. Você declara que as informações fornecidas são completas,
verdadeiras, atuais e precisas, sendo de sua total responsabilidade informar ao L&O
sempre que houver modificação/atualização de informação relevante.
Além disso, no momento de criação da Conta de Acesso, o L&O determinará o nome de usuário (login) e uma senha provisória para que você consiga acessar o OFFICE.

Após a criação da Conta de Acesso, o L&O enviará a você, via e-mail previamente
informado, seus dados para acesso ao OFFICE (login e senha), sendo que, para maior
proteção e segurança, você deverá alterar a sua senha no primeiro acesso.
É de sua exclusiva responsabilidade a manutenção do sigilo do nome de usuário e da
senha de acesso relativos à sua Conta de Acesso, devendo comunicar imediatamente ao L&O em caso de perda, divulgação ou roubo destes dados ou, ainda, de uso não
autorizado de sua Conta de Acesso.

Após a criação da Conta de Acesso pelo L&O e recebimento das credenciais, você
declara aceitar de forma expressa este Termo ao efetivar o seu primeiro acesso. Haverá, portanto, o consentimento expresso para a coleta, uso, armazenamento e tratamento de dados pessoais pelo L&O e/ou por terceiros contratados pelo escritório para finalidades legítimas e diretamente atreladas ao SITE e ao próprio L&O.

O L&O poderá recusar, suspender ou cancelar a Conta de Acesso de um USUÁRIO sem prévio aviso sempre que suspeitar que as informações fornecidas são falsas,
incompletas, desatualizadas ou imprecisas, com a finalização da relação entre L&O e o USUÁRIO Cliente ou ainda nos casos indicados nas leis e regulamentos vigentes
aplicáveis, nesse documento, mesmo que anteriormente aceito.

Cancelamento da Conta de Acesso ao OFFICE

A sua Conta de Acesso ao OFFICE será encerrada a partir do momento em que a sua relação com o L&O chegar ao fim – e ficaremos bem tristes se isso ocorrer – estando ativa apenas enquanto estiver vigente o Contrato de Prestação de Serviços de Assessoria Jurídica para a adequada prestação dos serviços.

É importante que você compreenda que o encerramento da Conta somente ocorrerá a partir do momento em que o L&O e você conferirem mútua quitação, isto é, a partir do momento que ambos concordarem que não há mais nada para reclamarem um do outro, não havendo qualquer pendência relativa a pagamentos, dentre outras. O encerramento será realizado pelo próprio L&O.

Entretanto, caso você pretenda eliminar definitivamente todos os seus dados do OFFICE, poderá solicitar a qualquer momento ao L&O, que analisará a melhor forma de seguir disponibilizando as informações necessárias, realizando a exclusão em seguida.